Responsabilidade Social

Seja um doador de órgãos e salve vidas!

Para ser um doador é importante deixar a sua família ciente da sua vontade, não precisa deixar o desejo expresso em documentos no cartório, desde que sua família atenda o pedido e autorize a doação.

Exitem dois tipos de doadores, o vivo e o falecido, o vivo pode ser qualquer pessoa saudável e capaz, nos termos da lei, que concorde com a doação e que esteja apta a realizá-la sem prejudicar sua própria saúde, no caso do falecido, a morte encefálica ou parada cardíaca precisam ser comprovadas.

Após a doação de órgãos do falecido, o corpo não fica deformado e pode ser velado normalmente.

A doação não irá interferir na vida do doador, muito pelo contrário essa dação pode simbolizar o início de uma nova fase na vida do receptor.

Fonte: portalarquivos.saude.gov.br